Batman: Arkham Asylum

Batman: Arkham Asylum



Gênero: Aventura
Produtora: Rocksteady
Distribuidora: Eidos
Lançamento: 25/08/2009
Nota: 9,7


Review
Desde sempre os jogos de super-heróis acabam sendo meia-boca, sobrando poucas exceções de qualidade, pois a maioria acaba fazendo uso de outros jogos como base e geralmente resultam em games superficiais e de curta duração.



"Curta duração? Comigo nada pode ser de curta duração, meu pudinzinho"

Batman: Arkham Asylum é o extremo oposto disso, o game é ultra-caprichado, feito com muita atenção aos detalhes e muito cuidado para agradar tanto aos fãs quanto jogadores casuais e avoados em geral.


"Bobeou toma na fuça, rapá!"

O game se passa inteiro no interior do complexo do Asilo Arkham, instituição que abriga os criminosos insanos de Gotham City e que empresta o nome ao jogo.


Tá, criminosos insanos e algumas aberrações também

O conceito e história do game, tal como muitas HQs, contam com certa liberdade de criação, já que Arkham está localizado numa ilha e existe uma batcaverna no seu subterrâneo, mas isso é o de menos, já que a ação e a exploração mandam bala muito bem.


"And that's why every body wants a piece of the action!"

As lutas são de simples execução (mas nem por isso fáceis) e fodásticamente fluidas, é um botão de ataque, um de contra-ataque e outro que o Batman joga uns morceguinhos em cima do oponente para abrir sua guarda. Só esses comandos abrem possibilidades para vários combos, defesas, e situações, gerando lutas cinematográficas melhores do que em qualquer um dos filmes do Joel Schumacher.


"Não curto punks de butique, tome aí um batchute no estômago!"

A exploração segue num ritmo bom, sem muitos pontos empacáveis, geralmente resolvidos com o uso do Detective Mode, semelhante com o senso animal de Wolverine no X-Men Origins, mas muito melhor utilizado.


Dá pra enchergar por baixo da roupa da mulherada com isso?

Há pontos de exclamação do Charada espalhados pelos cenários e pedras com crônicas de Arkham, que aumentam a quantidade de extras liberados, tal como a porcentagem de conclusão do game.


Opa, o morcegomem tem um ótimo handjob, rapá!!

O principal vião é o Coringa, que conta com sua assistente Harlequina, ninfeta total, com a aparição de Croc, enoooorme, do Espantalho, que traz partes muito bacanas quanto o Batman respira a sua toxina, com sistema de plataforma, lembrando bastante uns lances dos God of War, e a Hera Venenosa, nunca vista tão gostosa e tão pelada... pena que sua pele pareça folha de repolho.


Fala se não merecia uma foto de corpo inteiro!!??

Todos os brinquedinhos do Morcegomem são passivos de upgrades, tal como sua armadura e novos movimentos que podem ser comprados conforme se evolui no game.


Telinha básica de upgrades

Os gráficos estão perfeitos com ótimos efeitos de sombra , o que é crucial para um jogo deste personagem, e texturas muito bacanas.


"É a cabeça daquele que eu vou chutar agora"

O trabalho de dublagem é excepcional, contanto com os dubladores da melhor série animada já feita do Homem Morcego, a The Adventures of Batman e Robin (com exceção do Robin, é claro), inclusive com Mark Hammil, o Luke Skywalker, de Star Wars, como Coringa.


Uma pegada dessas ia quebrar a traqueia de qualquer um

Um lance que ficou ótimo é o fato de os produtores não terem se inspirado e/ou baseado no Cavaleiro das Trevas, do Christopher Nolan, onde o Coringa do finado Heath Ledger usa maquiagem, tudo no game no tem identidade própria.


"Let's put a smile in that faceah!

Pontos fracos: você não dirige o Batmóvel, o Charada não aparece pra nada, somente a sua voz, e o sincronismo das bocas poderia ser um pouco melhor, tendo em vista que jogos de menor qualidade são melhores nesse quesito.


Aliviando os gases antes de agir

Resumindo, finalmente Batman recebeu um jogo à altura de sua idade, fama e foderosidade. Batman: Arkham Asylum é disparado o melhor jogo do famoso personagem lançado até o momento, pois soube captar com excelência as partes boas de suas melhores obras, tanto das HQs quanto dos filmes, séries e desenhos animados, resultando no melhor jogo do ano, e um dos melhores já lançados até o presente momento.

Prós e Contras
- Adaptação perfeita
- Ótima história
- Combates muito fluídos
- Câmera muito bem regulada
- Gráficos foderosos
- Áudio e dublagem perfeitos
- Muito conteúdo extra
- Viciante

- Poderiam ter utilizado melhor alguns dos vilões

Vídeo







0 Comentarios.:

Postar um comentário

Tenha respeito aos demais não use palavrões!

 
Google Analytics Alternative